Mil palavras... Um sentimento...
 
Decidi morrer

Decidi morrer

www.cartasparajulieta.pt
www.cartasparajulieta.pt

Decidi repor a verdade, de livre vontade. Decidi provocar, para quem não gostar, expor o pensamento em qualquer momento. Decidi libertar, até o coração parar. Decidi voar, saborear o ar, sem medo de ir na hora de cair.

Decidi morrer! Nada a fazer! Decidi inspirar a prazo o cheirinho matinal da erva molhada e não pensar em nada. Rebolar-me no feno até ficar sujo em pleno. Atirar-me de um penhasco e mergulhar de cabeça sem fiasco que me impeça. Decidi pedir desculpa. Mesmo sem culpa. Decidi concordar, mesmo sem falar. Decidi dar, mesmo sem cobrar. Não estarei cá para o fazer. Decidi amar-te. E escrever. Não estarei cá para to dizer. Não estarei cá para te ver ler. Não estarei cá para te ver crescer, envelhecer, desesperar por um abraço a cada mau passo. Para te sorrir de cada vez que te vir. Para te beijar a cada acordar. Para te amar já. Não estarei cá.

Decidi repor a verdade, de livre vontade. Decidi provocar, para quem não gostar, expor o pensamento em qualquer momento. Decidi libertar, até o coração parar. Decidi voar, saborear o ar, sem medo de ir na hora de cair. Decidi livrar a mente de qualquer medo dormente. E estar comigo somente. A luz apagar, e com a vela no ar, as recordações folhear, para o naipe de emoções levar.

Decidi morrer…… e comecei a viver.

Romeu ©

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *